Principais dúvidas sobre o equacionamento

O Economus reuniu as principais dúvidas sobre o equacionamento do déficit do Grupo C recebidas pelos canais de atendimento e redes sociais, que serão atualizadas constantemente. Lembrando que no hotsite exclusivo sobre o tema há todas as informações do equacionamento. Clique aqui para acessar. 

1. Por que será equacionado 60% do déficit? 

A legislação permite que o plano conviva com um percentual mínimo de déficit, possibilitando assim não onerar desnecessariamente os participantes.

2. Futuramente haverá novas contribuições extraordinárias para equacionar o valor restante do déficit 2015?

O saldo remanescente de 40% do déficit não é um valor estático e poderá ocorrer a necessidade de novas contribuições para equacionar o valor restante do déficit 2015, a depender dos resultados futuros do Plano. É importante lembrar que mensalmente ocorrem variações em função do cenário econômico e de movimentações do plano como concessões de benefícios ou saídas de participantes e dependentes. Além disso, anualmente há atualização dos valores dos benefícios do plano e ajustes nas premissas utilizadas nos cálculos. Essas variações podem ser positivas ou negativas, minimizando a possibilidade de novos equacionamentos, ou contribuindo para possíveis equacionamentos, respectivamente.

3. O pagamento do equacionamento do Grupo C será apenas do participante? O patrocinador Banco do Brasil irá arcar com parte dessas despesas?

No caso do Regulamento Geral, Grupo C, o equacionamento será pago de forma paritária, ou seja, 50% pelo participante e 50% pelo Banco do Brasil, patrocinador do Plano. 

4. Sobre quais verbas o percentual do Equacionamento do Déficit incidirá? Serão as mesmas verbas para os aposentados, pensionistas e ativos?

A forma de cobrança é diferente para cada público, veja abaixo:

5. A contribuição extraordinária para o Equacionamento do Déficit vai ser somada com as outras contribuições que eu já pago? 

Sim, será adicionada às contribuições vigentes.

6. Sou pensionista, o que terei de pagar?

Para o Equacionamento do Déficit de 2015 será descontado em folha de pagamento 3,20% do valor do benefício, além do 0,90% para o custeio administrativo do plano.

Outras perguntas podem ser acessadas aqui

Fique atento aos canais de comunicação do Economus, pois em breve divulgaremos novas informações.


Publicada em: 15/02/2017